24.9.12

Fragmento

",,,Um dia vai ser preciso que tu me expliques; e outro que eu perceba.Tem de ser em dias diferentes porque explicar e perceber são coisas difíceis, mágicas, de consequências pesadas. Sabemos lá, nós, nós, o que dali virá. Eu por exemplo preciso de perceber hoje, só hoje, porque estou no mar e me faltas tanto, como se fosses outro mar; e tu já tantas vezes mo explicaste. Talvez num dia de menos mar e mais tu, vai saber; não há dias de menos tu e mais mar - é outra coisa que preciso de perceber, e tu tantas vezes explicaste..."

23.9.12

Prémios

Não sei quando é que isto foi escrito; pode ser uma coisa de adolescência, ou resultado de uma ressaca colossal, como a que me fez vomitar, no outro dia. Mas a verdade é que me pergunto se o resto é igual; e fico sem vontade de saber.


"Porque das nádegas
a curva
sempre oferece
a fenda
o rio
o fundo do buraco"

(Via Alberto Gonçalves.)

19.9.12

Euro

Espero que não. Não quero ter a minha antiga vida de volta.

Felicidade, morte

Há qualquer coisa de mortífero na felicidade. Que importa morrer agora, se morrer feliz?

16.9.12

Salvação, futuro

O século XIX e parte do XX viam a salvação no futuro; para melhorar era preciso andar, olhar, sonhar para a frente. É lamentável que para a nossa época a "salvação", a solução estejam no passado.

As pessoas olham para trás, desconfiam da ciência, têm medo do que as espera. Talvez seja por isso: habituaram-se a esperar pelo futuro, em vez de o fazer.

15.9.12

Relação ou consequência

Jorge Luís Borges fala de um povo que não vê relação entre o acto sexual e a gravidez (ou o nascimento, não me lembro).

As pessoas que pedem menos austeridade fazem-me pensar nesse povo: Sócrates andou a fornicar o país durante anos e elas não vêem a relação dessa fornicação com a presente austeridade.

(E pedem menos austeridade, mas isso é porque o homem falava bem, provavelmente; e muita gente gosta de emprenhar pelos ouvidos, dá menos trabalho).

Destinário errado?

As pessoas que "querem as suas vidas" deviam talvez dirigir o pedido a Sócrates, não? 

(Além de que uma manif em Paris tem outro chic.)

Resgates e orgulho

A Espanha está a fazer tudo o que teria de fazer se pedisse um resgate; assim, quando o pedir, poderá negociar as condições e pretender que continua a mandar. 

13.9.12

Da série "É a PR, estúpido"

Pacote dois em um

O PSD apresenta sobre os outros partidos a vantagem de ser simultaneamente governo e oposição. 

Já agora...

...alguém me pode dizer como é que a esquerda portuguesa reagiu aos anúncios do (ámen, genuflexão e vénia) Hollande?

Time gap

Este gajo está a falar para Vítor Gaspar ou para Teixeira dos Santos?

11.9.12

Cobardia, cobardia, cobardia

"Um deputado sob anonimato"? Entre deputados "independentes" que saem da sala para não desobedecer ao partido pelo qual foram eleitos e deputados que falam sob anonimato a corja é realmente linda. Cheira bem. 

9.9.12

Lisboa, Dezembro 2008



Cartagena, Setembro 2012


Palma de Mallorca, Setembro 2012



(Clicando nas imagens vêem-se todas, coitadas.)

Gibraltar, Agosto 2012



Londres, etc.


(Fotografia de TVP)

Gatos, etc.


Pôr-do-sol, etc.


"Que fazer com Portugal?"

Este artigo  - do qual não estou a 100% de acordo com a conclusão (prefiro a democracia directa a qualquer outra forma) - devia ser lido. Para o adaptar a Portugal haveria muito poucas mudanças a fazer.

8.9.12

Literacias, coragem

Uma das coisas que mais admiro na oposição socialista é as coisas que ela sabe. Sabe para burro, passe a expressão. É admirável, incompreensível e injusto ter deixado o país no estado em que deixou, quando estava no governo. Devem esquecer o que sabem, quando governam.

Já quanto à cobardia estou de acordo. O autor deste post sabe do que fala quando fala de cobardia política; e a verdade é que Pedro Passos Coelho devia ter tido coragem para anunciar reformas a sério. Aposto que o PS, e todos aqueles que se aproveitaram do regabofe socratista se extasiariam: "o homem tem coragem".

Mais impostos

É uma pena ver este governo tomar medidas que a esquerda vai com certeza aprovar.