4.5.04

Uma história portuguesa

Começaram as obras no meu prédio. As escadas ficaram cheias de pó e com as paredes sem reboco. Os trabalhos avançavam a bom ritmo. Um dia, tudo parou: dos operários, nem sopro. Hoje soube porquê: apesar de as obras serem coercivas - e, santo Deus, mais do que justificadamente coercivas - estiveram cinco semanas à espera de uma licença de ocupação da via pública. Cinco semanas. Porquê? Como? E sobretudo: quem paga estas cinco semanas, durante as quais o material esteve imobilizado no prédio?

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.