18.6.06

Le temps des cerises

Le Temps des Cerises, ma chère, não acaba nunca: cerejas sois todas vós, mulheres bonitas, mulheres inteligentes. Uma fica-nos na mente, no corpo, na alma: cereja ainda, aleluia, sorte grande, felizes que somos. Por quanto tempo? Pelo resto da vida, à chaque fois.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.