11.9.07

Fragmento (La Rochelle)

...Venho a La Rochelle há vinte anos, e há vinte anos que gosto disto. Os sítios mudaram, claro: dantes não havia La Quinta, nem Les Trois Seaux. Havia o Coquelicot, um restaurante vietnamita cujo nome esqueci, e o Piano Pub, o melhor deles todos. Mas o espírito da cidade, esta mistura de marinheiros com burgueses e protestantes, é o mesmo.

O Saoufé está uma porcaria? É verdade - mas há o Part des Anges (um é bar, e o outro restaurante, mas que importa?)

A cidade é linda, com as suas ruas que irradiam do porto em todas as direcções, o porto, e as três docas, em pleno centro. É como se o Terreiro do Paço fosse uma doca para barcos de recreio (uma doca a sério, claro, não uma dessas marinas de plástico, para barcos de plástico, com armadores de plástico, todas iguais, como os "Irish Pub" do estrangeiro).

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.