25.11.08

A construção do futuro, e do passado

Um dia, quando nós não fôr mais do que uma memória; quando já nem nos lembrarmos que houve um dia nós, perguntar-te-ei uma coisa. E não me venhas dizer que nunca houve nós, que nunca foi, nunca existiu senão na minha imaginação. Eu sei perfeitamente de que falo. Daqui até esse dia vamos primeiro ter que o fazer, para o podermos em seguida esquecer.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.