21.11.08

Deixa-me dizer-te uma coisa, posso?

Já vi seios de todos os tamanhos e feitios, ventres lisos, coxas intermináveis, gordas e magras, demasiado magras; já vi sorrisos bonitos, outros falsos; já fui acariciado por mãos que me queriam e por -  muitas mais - algumas que nem o meu  nome sabiam; já amei e fui amado, em todas as latitudes e em todas as longitudes; já fiz amor e já fui feito, desfeito, refeito; já fiz muitas coisas em muitos lugares da Terra, e já mas fizeram; já quis amar e não ser amado, não amar, já quis a Lua (que ainda hoje é o meu planeta favorito) e o mundo todo. Já vi muitas coisas de que não gostei, e muitas mais pelas quais daria uma volta ao mundo; já e já e já - poupo-te as descrições todas, seriam enfadonhas.

Mas estou, ainda e sempre, pronto a amar. Basta querer. Ou crer.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.