11.2.09

Perdidos e achados

O serviço de perdidos e achados da vida é o mais ineficiente que conheço. Experimente perguntar-lhe por um dia perdido, por exemplo. Ou uma amizade, um amor, uma oportunidade. Não encontra nada, a maioria das vezes (há excepções, claro. Mas são tão raras que não parecem excepções - parecem milagres).

7 comentários:

  1. somos nós que temos de contratar a alma certa para a sessão dos perdidos e achados

    ResponderEliminar
  2. Experimenta uma nota, discretamente, no bolso das calças. Se o serviço for português, vais ver que resulta.

    ResponderEliminar
  3. ana v.: o amor e amizade com suborno? deve ser por isso que o meu casaco preferido não tem bolsos.

    ResponderEliminar
  4. Ó cara homónima, não leve a vida tão a sério... se o fizer, terá sempre mais perdidos do que achados.

    ResponderEliminar
  5. Não me leve a sério também a mim, Ana. Os meus casacos não têm bolsos, tal como os seus. :-)

    ResponderEliminar
  6. Pois, é um dos meus defeitos levar as coisas demasiado a sério, ou melhor: connsiderar as coisas como sérias e cuidar de as fazer crescer. E tem razão tenho muitos peridos mas os achados são fabulosos :)

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem, então. Essa contabilidade é a que todos queremos, não é? Que fiquem os bons achados, que são sempre poucos, e que se vão os muitos perdidos que não interessam a ninguém. :-)

    ResponderEliminar

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.