12.5.09

Meço as palavras

Meço as palavras; cada milímetro. Sigo-as com o olhar, quando elas passam sobre a superfície lisa do teu ventre, como numa praia, antes de baterem na água. Olho-as todas: andam sempre em revoadas, as palavras.

Como se, sozinhas, não se aguentassem; como se, sozinhas, não passassem de baças e desoladas estátuas numa praça vazia, à luz cinzenta da chuva, interminável.

2 comentários:

  1. Carla13:50

    Meço os gestos, eu. Digo que é uma virtude. E se for um pecado?

    ResponderEliminar
  2. è quando as palavras atingem a luminosidade que o gesto princípia? Ou vice versa?

    ResponderEliminar

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.