17.7.09

Conspiração

Um dos temas recorrentes na literatura que trata do amor e assim é o de "A que ama B que ama C que ama D que ama A" e assim de seguida até ao Z (de Zulu, suponho). Está visto que tudo não passa de uma vasta conspiração de editores, livreiros, vendedores de papel e escritores: todos nós sabemos que A ama B e B ama A pela razão irrefutável e simples (não é uma redundância) de que amamos quem nos ama, porque nos ama.

2 comentários:

  1. Mas não é sempre assim, Luís. Começamos por amar quem não nos ama… porque não nos ama. ;-)

    ResponderEliminar
  2. Pois, Luísa. Isso é quando começamos cedo, não é?

    ResponderEliminar

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.