4.5.10

Fascínio

Estou de novo envolvido com a burocracia "marítimo-turística" portuguesa, e verifico, consternado, que afinal não aprendi a lidar com o absurdo. Isto é, a encará-lo como se fosse normalidade.

Continuo fascinado por pessoas que exigem coisas patentemente absurdas porque "está na lei". Será que está, realmente? E se está (eu não acho assim tão claro; mas assumamos que está) não deveriam elas fazer qualquer coisa para modificar, ou clarificar, essa lei, e vez de continuarem impavidamente a provocar desperdícios de trabalho, tempo e dinheiro?

Infelizmente, este fascínio nem sempre é agradável.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.