4.12.10

Transportes colectivos - Cont.

Ao post ali em baixo sobre transportes colectivos devo absolutamente acrescentar umas linhas sobre os de Grenada - ou, mais correctamente, de St. Georges's Town, porque ainda não saí daqui. Conduzidos de uma forma, digamos, nervosa, desportiva, sempre cheios, são uma deliciosa injecção de adrenalina. Hoje vinha na última fila - prevista para quatro pessoas, quase confortável para três - a admirar a maestria do condutor, que deve andar o mais depressa possível para aumentar a taxa de rotação dos passageiros, mantendo simultaneamente um olho no passeio, onde esperam os novos potenciais passageiros, e um ouvido dentro da carrinha para saber onde parar.

As pessoas são de uma amabilidade inexcedível, e se resolvermos as questões de proxémia e afastarmos as absurdas ideias da possibilidade de um acidente - absolutamente impossível, claro -, cada viagem transforma-se numa mistura de carrinhos de choque (mas sem os choques) e montanha russa (com menos subidas e descidas).

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.