9.2.11

Frágil

Por vezes ela dizia-me "amo-te", mas eu nem respondia. Não lhes tocava, sequer: eram "amo-te" muito frágeis, como o spaghetti de que ela tanto gostava e eu não os queria partir, nem amolecer.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.