30.6.11

Correntezas

O Pedro Correia incluiu-me nesta lista e eu agradeço-lhe (se bem, caro Pedro, o snobismo e o enjoo não sejam as únicas razões que levam as pessoas a não participar em correntes...)

1. Existe um livro que relerias várias vezes?

Há muitos. Quase todos. Numa desordem terrível, alguns dos que reli várias vezes são: "Sozinho à volta do Mundo", "Memoires d'Hadrien", "Mystères", "Zen and the Art of Motorcycle Maintenance", "Lord Jim", "Waiting for Godot", "O Velho e o Mar", "Tortilla Flat", "Por Quem os Sinos Dobram", "Ratos e Homens". "A Morte e a Morte de Quincas Berro d'Água", "Vasco Moscoso de Aragão, Capitão de Longo Curso" (uma novela de "Os Velhos Marinheiros", tal como o "Quincas"). "Aleph", "Ficções", "The Sea Wolf", "Heart of Darkness", "O Americano Tranquilo", "Cabra Cega", "Bilhar às Nove e Meia", "Alexandra Alpha".


2. Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?

"A la Recherche du Temps Perdu" (na língua em que não o li, já que os outros vão naquela em que foram lidos a primeira vez). Não é propriamente do livro que nunca consegui chegar ao fim, é do 1º capítulo. Quase tudo o que comecei da Virginia Woolf.


3. Se escolhesses um livro para ler no resto da tua vida, qual seria?

Um que nunca tivesse lido.


4. Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?

Quase todos os que não li.


5. Que livro leste cuja “cena final” jamais conseguiste esquecer?

"O Velho e o Mar", "To Build a Fire" (não é um livro, é um conto), "Zen and the Art of Motorcycle Maintenance", "Lord Jim", "Heart of Darkness".


6. Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?

Tudo, literalmente tudo, dos Cinco a Sven Hassel e Eric Maria Remarque, Os Sete, Heinrich Böll, Verne. Só não lia banda desenhada: o meu pai não deixava.


7. Qual o livro que achaste chato mas ainda assim leste até ao fim? Porquê?

"Ulisses", "Moby Dick".


8. Indica alguns dos teus livros preferidos.

Todos os que estão na resposta à primeira pergunta, mais "Under the Volcano", "The Human Stain" e quase tudo o que li de Roth, "The World According to Garp", "O Que Diz Molero", "Aparição", "O Estrangeiro", "O Mito de Sísifo", "A Peste", "Typhoon", "The Nigger of the Narcissus", "A Besta na Selva", "A Sibila" e "As Fúrias", "Os Irmãos Karamazov", uma série deles do Stefan Zweig, "Uma Noite em Lisboa" e "A Oeste Nada de Novo", outra série deles do Böll, "O Fio da Navalha", alguns de John dos Passos e outros do D. H. Lawrence, quase tudo o que Roal Dahl escreveu para adultos, "A Bend in the River", "Huckleberry Finn" e "Tom Sawyer", Ian McEwan (sobretudo, mas não só, "Atonement"), Wodehouse, "Dubliners", Jules Verne, O'Henry, "El Viaje de los Siete Demonios", Antonio Tabucchi, "O Pavilhão dos Cancerosos" e "Um Dia na Vida de Ivan Denisovich", "An American Dream" (este, quando o tentei reler pareceu-me chato como a potassa, mas a primeira vez que o li gostei bastante). Woody Allen, quase tanto como dos filmes. Uma descoberta magnífica e recente: "Passage to Juneau: a Sea and its Meanings".

(Acrescento: "Any Human Heart", um soberbo fresco do Séc. XX).

Agatha Christie, Raymond Chandler, Rex Stout, Conan Doyle.

Praticamente tudo o que li de Fernando Pessoa, Nuno Júdice, Ramos Rosa, Pedro Tamen, Drummond De Andrade.

(Tudo na desordem).

9. Que livro estás a ler?

Vou começar (oooops) "O Café Debaixo do Mar".


10. Indica dez amigos para responderem a este inquérito.

São poucos, e todos aqueles de que me lembro já foram, de certeza, solicitados. Tatiana? Luísa? Lourenço? Isabel? Ana?