27.1.13

Dor: paráfrases e variações

Só os profissionais da dor deviam ter-lhe acesso. Quando os dilentantes se apoderam dela, a doce melancolia da vida transforma-se em farsa.

There's no pride without love.

Não deites fora a dor suja de ontem sem teres a limpa de hoje.

Há dois dias bons no clube dos corações solitários: aquele em que se é admitido e aquele em que se é expulso.

Devemos abordar a dor com as precauções de um Navajo e instalarmo-nos nela com a determinação de um colono.

A melhor forma de avaliar uma relação que termina é ver se as noites são tão difíceis, ou mais, do que os dias.

Dar tesão à dor: não há desafio mais interessante, apaixonante, estimulante.

A compreensão não atenua a dor. Quando muito torna-a mais suportável; como visitar as avós: antes a que faz bons pastéis de bacalhau.

O único lugar decente para a dor é a memória: é de onde desaparece mais depressa.

A dor é composta por cabeça, seios e pele. Curiosamente, o prazer também.

A dor não é incompatível com os trópicos; basta é a biblioteca que o demonstra. Mas é indubitavelmente melhor sofrer com calor do que com frio.

Mais vale bem magoado do que mal acompanhado.

Uma dor por dia, não sabe o mal que lhe fazia.

O mundo é pequeno: falta uma pessoa e nós somos o mundo.