10.3.13

Ditaduras

Por alguma - às vezes compreensível - razão as pessoas tendem a desculpar algumas ditaduras, a aceitá-las como inevitáveis, ou até boas. A "ditadura do amor", por exemplo; ou a do bem; ou outra qualquer do mesmo género. 

Não é verdade. Não há ditaduras boas, sejam elas do que forem - políticas, de amor, do bem ou do mal, da estupidez ou da inteligência, do vício ou da virtude. Todas as ditaduras, sem excepção são intrinsecamente más. Só a liberdade vale.