17.5.13

Conhecer o nada

Penso em todas as pessoas que me conhecem bem, verdadeiramente, a fundo. São muito poucas, três ou quatro. Podia ser sinal de profundidade, mistério ou outras mariquices; ou de que não me dou facilmente.

Nada disso: prova simplesmente que nada há a conhecer.