30.5.13

Diário de Bordos - Golfito, Costa Rica, 29-05-2013

Volto para bordo. Espera-me o pão que hoje fiz, o mau cheiro dos tubos que não mudei (por causa da chuva, poderosíssima chuva), a certeza de que largo na sexta-feira. Enfim, na medida em que há certezas nesta vida, que é uma medida curta, muito curta.

N. aceita vir comigo por um preço razoável. Pareceu-me boa pessoa e competente; mas isso só o saberei na sexta-feira.

Por agora sei que quero chegar ao Panamá, pôr o bote no estaleiro e começar a trabalhar para o pôr a trabalhar o mais depressa possível. Do resto tratarei depois: amanhã é uma sequência de hojes, e cada hoje é muito curto, muito breve, um relâmpago.