12.9.13

Tempo, de novo

Livros para ler, música para ouvir, vento para navegar, corpos para amar: ninguém conseguirá nunca convencer-me de que o tempo acaba.