12.10.13

A descoberta da paciência

Todos os dias vou ao Palmar Tent Lodge - uma espécie de albergue de juventude com tendas em vez de dormitórios, no qual a média de idades é um bocadinho inferior à minha idade - beber ora uma Marguerita, ora um copo de vinho branco.

Ontem pedi ao jovem barman, passe a redundância,  que me pusesse bastante paciência na bebida, mas ele não percebeu. Pensou que eu lhe estava a dizer para se despachar.

A paciência é uma coisa que se descobre à medida que se vai perdendo.

(Para a Leonor, claro.)