23.10.13

Do pão

Do pão sei pouco:
o sal,
o suor de o amassar,
o calor do forno,
o cheiro dele quente quando
o barras com manteiga.

Da indiferença pouco sei também:
a dor, o silêncio que não é silêncio
como o sono não é a morte.

Mas ambos são a vida,
e da vida sei muito.

Sei a dor e a alegria e o amor,
o calor e o nascer do dia
quando o sol, feliz, se espalha pelas ruas.

Sei o mar e sei amar,
a lua e o vento
e à noite o frio ao leme e
o calor das tuas mãos na pele salgada
que o mar e a vida me deram.