4.6.14

A Lancheira

Fui ver A Lancheira, um esplêndido filme indiano. É um filme epistolar: duas pessoas que não se conhecem apaixonam-se devido aos bilhetes que trocam numa lancheira enviada a uma delas por engano.

Lembrei-me da Casa e do Mundo, um romance epistolar do qual Satyajit Ray fez um filme "normal" (isto é, não epistolar) e cuja história tem alguns pontos de contacto.

A Lancheira é um filme bonito, um encontro de duas solidões numa Bombaim sobrepopulada. O tema preocupa-me há muito tempo: o que amamos em quem amamos? Uma história de amor pode começar com um almoço melhor do que o habitual e acabar com uma fuga para o Butão, mesmo antes de as pessoas se encontarem fisicamente?

A minha resposta é sim, pode. Mas aconselho o filme, para verem se está correcta.