16.7.14

Querer, tintas

Alguns posts do Don Vivo são bons. É natural: em quase onze anos um ou dois hão-de escapar. Em contrapartida nunca é de mais frisar que os poemas são execráveis. Eu sei. Infelizmente estou-me nas tintas. Ponho-os aqui porque quero, da mesma forma que digo maricas em vez de gay e faço o que faço como faço: porque quero e porque me estou nas tintas.

Talvez não seja uma boa definição de liberdade; mas é a que quero.