23.8.15

Navegar, como se

Vou navegar por essa liberdade fora como se pedalasse as estradas do teu corpo, como se nos navegássemos os dois felizes e livres, como se as estradas e o mar e o vento fôssemos nós, como se um sonho parisse um mundo e o respectivo tempo, como se a vida e o futuro fossem feitos de um olhar e um sorriso. Os teus.