5.4.16

O livro da tua pele

Escrevo e cada letra é uma porção da tua pele. Faço frases inteiras percorrendo-te os membros um a um, o ventre, os olhos. Toco-te um seio, a "coivara dos dedos", analogia tão bonita que ardo só de a evocar, um lábio, um dedo do pé, o joelho e uma página escreve-se.

Estou na laguna. Mastros, Karen Dalton - uma descoberta musical que me faz perguntar como é possível? - alísios, rum Mount Gay, uma largada para breve. Como descrever-te tudo isto?

Pele infinita.