16.8.16

Quanto custa ser imbecil?

Isto anima-me: estou sentado ao lado de um gajo que é simultaneamente imbecil e chato.

Estamos num restaurante em Ferragudo, ele na mesa com a família e eu ao lado, dois dedos a separar os nossos territórios.

Em dez minutos o homem largou outras tantas imbecilidades. O empregado de mesa aguentou estoicamente.

Ele não pode,  como eu escrever. Mas posso gritar, ironizar, ser sarcástico ou, em último caso, mudar de mesa. Não fiz nada disso. Calei-me e comi (corvina cozida. Duas postas por onze euros. Com o vinho e os extras o jantar não chegou a vinte paus.)

Não sei o preço das imbecilidades, mas acho que podem vir muitas.