1.10.16

Diário de Bordos - Lisboa, 01-10-2016

No meio de uma inenarrável sequência de eventos a cafetaria Fundação vai abrir daqui a pouco. Não faltou nada, excepto tempo. De resto tivemos tudo o que se possa imaginar, por vezes em quantidades abomináveis.

Fizemos face. Acabamos de vender a nossa primeira empada de frango. Apercebo-me da vantagem de ser marinheiro: a mistura de inquebrantável optimismo e consciência da nossa fragilidade, ser capaz de lidar com um ambiente que muda permanente, imprevisível e incontrolavelmente, saber distinguir num ápice o essencial e o acessório, o que nos permite avançar e o que nos afunda.

Talvez afinal não precise de deixar de ser marinheiro. Apenas mudo de embarcação.