30.12.16

Debates televisivos

Preparo-me psicologicamente para ligar a televisão de novo. Lembro-me de uma conversa que tive com o Philippe R. em Genève. Ele dizia mal da televisão, diabolizava-a, achava-a um veneno. Eu dizia-lhe que não: "isso é como dizer que a literatura é uma porcaria porque há maus livros, ou que a sociologia não presta porque Jean Ziegler é sociólogo" (esta última era uma ligeira provocação, muito ligeira: Ziegler era - e se calhar ainda é - o herói da esquerda suíça. Para se ter uma ideia: era pior do que o Zizek e o Boaventura juntos. Hummm... Não sei. Talvez só pior do que o Zizek. O único sociólogo pior do que o Boaventura que conheço é chauffeur de táxi).

Bom, não interessa. Philippe atacava a televisão, eu defendia-a. A certa altura, exasperado et à court d'arguments grita-me "Estás a defender a televisão porque não a vês. Se a visses verias o que aquilo é".

Oui, Philippe. Je vais regarder la téloche pour confirmer que c'est une merde mais qu'il y a peut-etre de temps en temps quelque chose qui vaut la peine. Aprés Ravel...