11.6.17

Raízes

Há sempre aquela velha história das raízes, dizia o choupo à galinha. No mar não há raízes. No ar tão pouco, respondeu a miúda, que ainda se lembrava do tempo em que os antepassados voavam.

Mas explica-me: que ganhas tu com as raízes?

O choupo não sabe responder a esta pergunta. Não pode viver sem elas, coitado. Já uma galinha não pode tê-las: perde a sua razão de ser. Isto é: perde a razão. O ser.

As raízes são uma porra que ora alimentam ora matam. Como a água, o amor e meia dúzia de coisas que agora não saberia nomear.