3.7.17

Matemática longínqua

Não há paz na liberdade. A liberdade não é pacífica.

Como o amor, de resto: não sabe o que é a paz. Só conhece a liberdade. Um amor pacífico não é amor: é uma prisão partilhada.

Inicialmente o amor é uma mistura de liberdade (cem por cento) e paz (zero por cento). Um dia, numa matemática longínqua  haverá cem por cento de liberdade e cem por cento de paz.

Mas esse dia vem longe e é preciso construi-lo. Não aparece feito.