8.7.17

Quiçá

Assim de repente parece-me o Gato Barbieri; mas a suposição é falível: estou sem óculos e o som demasiado baixo para a minha surdez. Só oiço fragmentos minúsculos da peça e é com eles que vou adormecer.

Penso nas paisagens do Jura, redondas e hipnotizantes, nos dias todos que vivi, agrestes e nada fascinantes, no quanto a minha vida sem ti se parece com um abismo alpino: olho para cima, tu estás e tudo é lindo; olho para baixo, tu faltas e tudo é escuro e feio.

Mas penso nisto apenas porque não sei se é o Gato Barbieri que está a tocar. Se tivesse a certeza pensaria outra coisa, quiçá melhor.