16.11.17

Palavras atrás das outras, umas

As palavras já quase nem palavras são, de tão pálidas; é assim que gosto delas: nem sombras do que foram são. Vão para ti em fila indiana, silenciosas e graves.

Graves a fingir, claro: no caminho aligeiram-se, esquecem-se de mim, de onde vêm, do que seriam se não fosse para ti que se dirigem.