21.12.17

Ruas, máquinas

Nas ruas da cidade cruzam-se a máquina de fazer sorrisos e a de fazer idiotas. Estas são mais numerosas e são portanto quem manda.

É pena: com um sorriso na boca até um palerma passa por gajo simpático. Com muitos sorrisos as ruas seriam bem mais hospitaleiras.

Pergunto-me como vão reproduzir a idiotice nos automóveis sem condutor. Será que vão pô-los a buzinar cada vez que passam por um ciclista ou essa função ficará reservada aos veículos-táxi? E vão programá-los para fingir que não nos vêem?

Que farão os idiotas todos que agora conduzem? Que será feito deles quando as máquinas de fazer palermas os dispensem?