17.12.17

Vinho deste mundo

Janto vinho tinto e disparates, na esperança fátua de que estes sejam menos maus do que aquele.

Fátua e não vã: o vinho é péssimo e o copo grande, graças à gorja que dei ao empregado, o que me trouxe o copo anterior, tão pequenino. O rapaz até me apertou a mão, coitado. Não deve estar habituado, porque a gorja não era nada do outro mundo.

Ou sim. Valeu-me um copo com o dobro da capacidade e o mesmo preço. Fosse o vinho um Haut-Marbuzet, por exemplo, e estaria no outro mundo.

Isto de olhar para as coisas como elas são e não como poderiam ser também tem os seus limites.