11.3.18

Badanal interior

Difícil dormir com tantas histórias. Uma amálgama de histórias: ele é flores, paciência, esperança, solidão, bosques... Vamos ver e o badanal não é só lá fora, queres apostar?

E depois está porra deste barulho mesmo por cima de mim. Não consigo identificá-lo, dar-lhe cara e futuro.

Verdade seja dita o que me impede de dormir não é o barulho, é não saber de onde vem. Fui lá fora só com o casaco vestido, mas não vi nada e voltei para dentro. Pode levar horas.

Retornei às minhas amálgamas. Essas pelo menos sei de onde vêm e para onde vão, têm cara e nome.