10.3.18

Nunca mais a vi

- Would you marry a nomade? Would you marry a nomade? - Rita repetiu a pergunta mas não para mim. Tinha visivelmente bebido muito.
- Sim, claro - os nossos diálogos eram quase sempre bilíngues. - É uma sorte casar com uma nómada: quem não tem uma casa tem mil casas. E quanto mais tempo estivermos separados mais tempo o nosso casamento durará. Será um casamento escrito, mas não ridículo porque as nossas cartas não serão de amor, mas de vida.
- Cartas do amor quotidiano. Cartas do amor no quotidiano. Cartas quotidianas do amor.  Which one would you prefer?
- Prefiro: casa comigo, Rita.
- Não posso. Se casar contigo deixo de ser nómada.
- Disparate. Se deixares de o ser eu não caso contigo.
- Too much drink. Can't decide now.
- Amanhã vais-te embora.
- Então caso. Tratamos dos papéis quando eu voltar.