11.3.18

Silêncio, casa

De silêncio em silêncio fizeram uma casa comum. Nenhum deles lá morava: visitavam-na juntos, como se fossem a um cinema ver um filme mudo, a um museu ver peças de Hopper ou treinar uma sessão de linguagem gestual.

A saída despediam-se sem uma palavra, mas sabiam quando se voltariam a encontrar: a casa avisava-os de que precisava de silêncio.