20.12.18

Livrarias, cafés e sombras

Pergunto ao jovem - sublinho jovem - livreiro qual de dois livros me aconselha. Nenhum. Em vez de sugerir descreve-mos, porque visivelmente os leu. Faz uma espécie de crítica literária ali sentado atrás do balcão. Há um ano ou dois foi ele que me aconselhou Gamoneda, o que só por si sería suficiente para lhe ficar grato até ao fim dos meus dias.

Acabei por comprar um Tanizaki. Chama-se Elogio da Sombra (a tradução é minha, mas não é dificil) e preferi-o aos passeios alpinos do pai de Virginia Woolf.

Todas as livrarias e cafes deviam ser como a Biblioteca de Babel.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.