8.6.19

Diário de Bordos - Palma, Mallorca, Baleares, Espanha, 07-06-2019

Vim jantar ao bar Rita; agora tenho de me ir embora. Uma mesa de espanhóis (odiar-me-iam se me lessem; maiorquinos é o termo correcto) é capaz de assustar uma manada de elefantes enraivecidos. Comi as melhores croquetas de camarão de sempre e uma ensaladilla deliciosa. O bar Rita é um dos poucos locais de maiorquinos onde sou bem recebido. Isto é: as pessoas manifestam prazer por me ver. Nos outros não manifestam nada, nem prazer nem ausência dele. Refiro-me a bares: hoje tive mais uma pega com a marina. Vou-me embora dali mal regresse de Mértola.

.........
Há dias fui jantar a um peruano. Disse ao homem para escolher um prato que me desse vontade de lá voltar.

Trouxe-me arroz de marisco. Estava bom, sem dúvida,  mas é difícil impressionar quem conhece o do Pina. Foi um jantar neutro: o peruano não perdeu um cliente e o Pina manteve um fiel. Pena estar fechado à segunda-feira: iria lá só para mostrar ao peruano a diferença entre um arroz de marisco e um arroz com marisco.

São tão diferentes como um dia de sol e um dia sem chuva.

.........
Não tarda recomeço a comer em casa. Como estratégia para perder peso, comer menos e beber mais não funciona. Deixar de beber um número par de bebidas é insuficiente: três é um número ímpar e passar de dois a três copos de cada bebida não serve de nada para quem quer perder peso. Vai ser preciso quantificar, coisa que imensa gente faz.

Seja como for, não cairei na armadilha do meu Pai: substituir whisky por chá está obviamente votado ao fracasso e à troça pública, como lhe aconteceu.

.........
Caí da bicicleta, pela segunda vez em duas semanas e terceira desde que aqui cheguei, vai para um  ano e um quarto. Desta vez a queda foi tão inócua que nem chateado fiquei.

O que me enfureceu, já depois, foi não ter sequer ficado aborrecido. É preciso  evitar a banalização das quedas.

O motivo foi o mesmo: de repente as minhas bicicletas começaram a andar mais depressa e as ruas de Palma mantiveram-se escorregadias. "Nem a luz páram", pensei hoje. Quanto mais um tipo armado em Eddie Merckx numa Panther de duzentos quilos e contra-pedal.

Pelo menos a queda de hoje foi para o lado direito. As outras foram para o esquerdo. Infelizmente não consegui endireitar o cesto, está todo torcido. Espero encontrar um método mais suave para o fazer voltar à forma inicial, que isto de cair é muito aleatório. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.