26.9.05

A um filho

Sê o que és, sempre, e só o que és. Ouve os outros, mas para te escutares melhor a ti próprio. Faz o teu caminho, e segue-o até ao fim, por muitas circunvalações e curvas e passos atrás e passos para o lado que ele te faça dar. Sê quem és, não o que os outros, eu inclusive, queiram que tu sejas, ou pensem que deves ser. Sê tu, só tu, não mais do que tu.