4.5.07

Um cocktail improvisado

Que fazer, quando o dia, a semana, a vida, exigem um cocktail, e a dieta esvazia um bar como um governante deveria resolver o problema da função pública (zero admissões por cada saída, e bastantes saídas à força)?

Vai-se ao fundo do baú, ao fundo do frigorífico e ao fundo do resto, e encontra-se isto:

- Drambuie;
- Gin;
- Sumo de lima natural, fresco, puro como o desejo, um amor novo ou a esperança;
- Xarope de cana;
- Açúcar mascavado (se se for mais para o sweet do que para o bitter, o que não é o meu caso).

Põe-se isto tudo num copo de cocktail, com uma pedra ou duas de gelo - que se retiram logo, após duas delicadas voltas de colher.

O nome é Tê Elle, que é nome de letra, e de vida.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.