23.1.09

Birth of a love

O nascimento de um amor é uma mistura enigmática, imprevisível e intrigante de nós e do outro, de passados, futuros e medos diversos, de desejos e dúvidas, cheiros e peles, olhares e cabelos, camas desfeitas e esperas intermináveis.

6 comentários:

  1. trevoemar03:18

    as esperas ganham saudades. Ter cuidado que na espera o outro não desespere. Compromisso.

    ResponderEliminar
  2. Acho que falta o presente, Luís...
    É uma mistura de passados, presente, muito presente, e futuros e medos diversos.
    E faltam as palavras: escritas e faladas... as palavras costumam ser um dos ingredientes mais importante :-)

    ResponderEliminar
  3. Tem razão, Fugidia. Esqueci-me das palavras! E do presente - ou dos, há mais do que um, no caso dos amores correspondidos, que são os melhores.

    E estou igualmente de acordo consigo, cara Trevoemar: quem espera desespera. E o amor (como tuda, na vida e no mar) é uma questão de compromisso.

    ResponderEliminar
  4. O nascimento de um amor é a aventura mais fantástica que conheço, Luís. Dure o que durar depois, o nascimento é sempre uma epifania.
    Espero sinceramente que seja o seu caso, porque esse estado de graça é invejável.

    ResponderEliminar
  5. O amor é um país estranho, Ana.

    ResponderEliminar
  6. trevoemar22:07

    não o denominaria estranho, mas um país onde o fundamental não está nos guias turísticos mas nas ruelas que só quem lá vive lhes dá importância. E se temos a sorte de encontrar o bom guia, encontramos o paraíso

    ResponderEliminar

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.