27.1.09

O nascimento de um amor - II

É um conjunto de estradas cheio de circunvalações, bifurcações, altos, baixos, stops e rectas sem fim, cruzamentos e passagens de nível ao fim do qual estamos exactamente onde estávamos antes de estarmos. E, o que é pior, pouco sabendo mais.

5 comentários:

  1. Hum... parece-me que não se trata do nascimento de um amor, Luís; nem I nem II.

    Na verdade, parece-me que é a descrição das suas voltas por esta Lisboa, de bicicleta, e o regresso a casa, exausto... :-D

    ResponderEliminar
  2. Acho que vou andar a pé por uns meses, minha cara Fugidia.

    ResponderEliminar
  3. se um assombro nada traz de sabedoria é porque não é nascimento de um amor. Mas se todos os assombros fossem nascimento de amores esta vida era um dessassocego. "Um vÒo certo a nada"

    ResponderEliminar
  4. lol lol lol

    (acho bem, meu caro Luís)

    ResponderEliminar
  5. Um assombro traz sempre muito mais perguntas do que respostas, muito mais inquietação do que sabedoria.

    Se assim não fosse, que graça teria?

    ResponderEliminar

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.