6.4.11

Chegada

Chego a qualquer sítio que conheço bem (Lisboa, Genève, Paris) e a primeira coisa que me ocorre é "eu conheço estas caras". Não conheço as pessoas, claro, mas conheço as caras, os traços são-me familiares. Depois o efeito desaparece e começo a ver as pessoas, e não as caras.

Lisboa recebeu-me de braços abertos, hospitaleira, jovial. Vai ser mais difícil desfazer-me desta cidade do que da língua.

(Os jovens fumam muito, em Portugal.)

As pessoas são simpáticas, descontraídas. É só profissionalmente que isto não funciona. Os portugueses deviam ser proibidos de trabalhar (seriam na mesma pagos pelos alemães, mas para os alegrar, não para dilapidar os "pacotes" sem pés nem cabeça).

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.