25.6.13

Lisboa

"Estás e nunca estás e o vento vem e vergas
E há também a chuva e por vezes molhas-te,
Aceitas servidões quotidianas, vais de aqui para ali,
Animas-te, esmoreces, há os outros, morres
Mas quando foi? Aonde te doía? Dividias-te
Entre o fim do verão e a renda da casa..."

Ruy Belo, Ácidos e Óxidos, in Todos os Poemas, Assírio & Alvim

Estar grosso em Lisboa.

Só há um sítio válido para se estar bêbedo em Lisboa, legítimo, onde vale a pena, que é muita. Chama-se Ler Devagar e fica na Lx Factory, uma pena. Não há razão para Factory. Fábrica, laboratório, o que quer que fosse ficaria melhor. Mas enfim, chama-se factory, paciência.

Tem livros, beleza, boa música, miúdas giras, uma bicicleta voadora, bebidas, boa música, miúdas giras... Acho que me estou a repetir.

Tem Lisboa. Não precisa de mais nada.