4.8.14

Espantalho

Tenso como uma linha recta que o vento faz vibrar tremes. Conseguirás unir os dois pontos da linha? A metafísica do amor tudo transforma. Da pulhice faz lustres e de lustres sol e de sol vidas do passado futuro e do futuro presente. Do presente pedras. Seixos em revoadas sobre as águas paradas de um lago negro, denso como alcatrão. Vibras. Temes. Tremes. Vives. Denso e tenso vives como uma pedra à superfície de um lago. Revoadas de pedras lançadas por um deus bêbedo fazem-te ver o que vê o espantalho. Tu és o espantalho.

Espantalho nauseado. Sentado à beira do passeio vomitas. Temes. Tremes. Vibras. Vertigens. És um espantalho que a vida habita por engano.