26.8.14

Tempo, inquietação

O tempo interessa-me pouco. Não passa da parte da eternidade que se atrasa ("Le temps n'est que la partie de l'éternité qui retarde", Milorad Pavic, Dictionnaire Khazar, ed. Belfond 1988, trad. Marija Béjanovska).

O problema não é bem esse. É esse desinteresse não ser de todo uma fonte de inquietação. De desassossego. Devia ser.

Fora do tempo não somos nada se não nós mesmos, mas algumas solidões não são inquietantes.