17.9.14

Húbris, falácias, medo, morte, sorte, azar, tempo

A vida é curta, tu és jovem e qualquer dia vais-te embora. Façamos depressa tudo o que temos a fazer: viver, zangarmo-nos, amarmo-nos. Não percamos tempo - temos tão pouco - com floreados, frases bonitas, palavras sentimentais, preliminares prolongados. Não tarda um fósforo estaremos sós, façamos o que fizermos.

Se tivermos azar. Com sorte estaremos enterrados.