21.9.14

Pina Bausch

De dança sei zero. Da gravidade pouco: nove vírgula oito metros por segundo ao quadrado. Da leveza apenas que não é ausência de gravidade. É muito mais.

Mas de vida e dor sei; de emoções e sentimentos - já por cá todos passaram e voltarão -.  Da solidão e da graça, da beleza e das interrogações sem respostas,  da magia e do génio, do medo e do abismo. Daquilo que transforma o tempo em eternidade.

Pina Bausch de Wenders no Intendente. Por vezes sentia-me numa estação de caminhos de ferro: as baias iluminadas em contra-luz pelos faróis dos automóveis na Almirante Reis,  vultos atentos na escuridão,  um grande painel de avisos a falar de infinito e de movimentos e da beleza das paisagens da alma. Todas, mesmo as mais obscuras.