14.10.14

Diacronias

Nunca te dás, nunca te deste,  diz-me S., que me conhece como se me tivesse feito.

Não é verdade. Dou-me diacronicamente,  é tudo. Tal como vivo, de resto.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Não prometo responder a todos os comentários, mas prometo que fico grato por todos.