11.11.14

Diário de Bordos - Belém, Pará, Brasil, 11-11-2014

Belém fica para trás. Pela frente está S. Luís, de novo, por alguns dias. Começo a conhecer esta cidade; ou melhor, alguns recantos dela. Hoje passeei pelos locais habituais: Estação das Docas, Ver-o-Peso, Comércio.

Conheço poucos quarteirões tão bem nomeados como este último. É um gigantesco centro comercial a céu aberto, com stands em quase todas as ruas. Vendem tudo: comida, roupa, ouro e prata, bugigangas chinesas, sapatos, telefones... Tudo.

Parafraseando Almeida Faria, Nada do que é comercial é estranho ao Comércio.

........
Doze horas de autocarro até S. Luís. Os bilhetes de avião internos no Brasil têm preços absurdos, sobretudo quando reservados à última da hora. Transformar este país é uma tarefa hercúlea. Requereria muita vontade e muito tempo. Uso o condicional: começa por faltar a primeira, e é fundamental.

........
Frail é uma das palavras mais bonitas que conheço em inglês.

........
Três dias em S. Luís. Vai ser pouco. Que encontrarei?